Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Para sempre APRENDENTE...

E depois de um final de semana em que tudo o que li e vi tiveram muito a me ensinar, abro as As Cartas do Caminho Sagrado hoje e me deparo com a lição do Escudo do Sul (Inocência/Criança Interior), que veio coroar a soma dos aprendizados do final de semana.
Estou tentando viver um período de autenticidade, rompendo com paradigmas, desapegando do que é importante para o outro e não para mim. MAS, há muito caminho ainda a percorrer e há muito ainda a aprender. Como em A Autobiografia em Cinco Capítulos, eu caio no buraco ainda, muitas vezes, mas sei que é culpa minha.
Ouvir a intuição, a voz da criança interior já não é desconhecido para mim, mas também ainda não é fácil. O olhar do outro, o olhar do mundo, ainda pesa sobre minhas atitudes. Mas, UFÁ!, que bom que eu consigo enxergar isso. O exercício maior parece ser o de lembrar-se sempre de quem - ou o quê - deve dirigir minha vida. E a resposta para essa pergunta é fácil: Eu.

“O primeiro caminho para compreender a sabedoria da crianç…

O Tempero da Vida

Nosso medo mais profundo

"Nosso medo mais profundo não é sermos incapazes. Nosso medo mais profundo é termos poder demais. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos assusta. Jogar pouco não agrada ao mundo. Não há nada de luminoso em se diminuir para que outras pessoas não se sintam inseguras à sua volta. Fomos todos feitos para brilhar, como as crianças. Não está só em alguns de nós, está em todos. E ao deixarmos nossa própria luz brilhar, inconscientemente permitimos que outros façam o mesmo. Já que nos livramos de nosso próprio medo, nossa presença automaticamente libera outros."

(Estudante Cruz, em Coach Carter, citando trecho do discurso de posse de Nelson Madela, em 1994)




Minha porção Amélie Poulain

"Me identifico com você de um jeito tão profundo..." (V &  L)

"Então, minha querida Amélie, você não tem ossos de vidro. Pode suportar os baques da vida. Se deixar passar essa chance, então, com o tempo, seu coração ficará tão seco e quebradiço quanto meu esqueleto. Então, vá em frente, pelo amor de Deus." ( Sr. Dufayel em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain)


Há dias em que a gente não cabe dentro de si. São emoções, suspiros, silêncios, desejos, palavras... querendo sair. Risos soltos, lágrimas de emoção... e tudo vai ficando aprisionado por razões sem sentindo. No máximo, um suspiro profundo, que é para permitir que algo escape um pouco e não nos sufoque.
Tentamos recorrer a razão. Quem sabe ela num explique os porquês que não compreendemos. Se apelar ao sentir, tudo escapa, explode, vive... mas, também pode morrer num átimo, deixando a solidão, o vazio. Vazio que desejávamos ocupado, mas que nos fugiu em um momento de insensatez. Insensatez. Impulsividade. Confundimos muito com liberdade e autenticidade. Dizer o que pensa, o que sente, sem filtros e máscaras. E se o outro se ofende, não aceita, rejeita? Difícil lidar. Porque precisamos primeiro de nós mesmos, de nossa inteireza. Mas, sentimos falta do outro também.
Honro minha consciência, minha visão espiritual. E honro minha humanidade. Porque se aqui estou, o aprendizado neste corpo,…

Sábado WONDERFUL

O Twitter nos apresentou, as afinidades nos aproximaram e, em pouco mais de um ano, fomos construindo à distância, tijolinho a tijolinho, uma relação de cumplicidade, afetos, alegrias e tristezas compartilhadas. 
De algumas, oito, dez horas de viagem nos separavam. Mas, ainda que próxima fisicamente de outras, não havíamos nos encontrado - salvo Maria Clara e eu. Bastou a Sabrina decidir 'EU VOU!' - há 10 horas de ônibus daqui - e a Adriana dizer: 'EU TAMBÉM VOU!' - há 8 horas de viagem daqui, que a mágica do encontro se fez.
E foi uma maratona! Pingado com leite e pão na chapa na Bella Paulista, passeio na Avenida Paulista - com direito a Livraria Cultura, Parque Trianon, Casa das Rosas -, almocinho no Mercado Municipal, passeio no Museu da Língua Portuguesa, passadinha na Pinacoteca, finalizando o dia com cafezinho, pés super cansados e CORAÇÃO  transbordando da energia do encontro de AFETOS, ABRAÇOS, SORRISOS E AMIZADE! E logo as meninas embarcaram para a longa via…

Para que eu escrevo...

Outro dia, após ler o post Manifesto por uma internet com mais conteúdo, do blog Revista Temarama, que pede uma sinceridade, autencidade e qualidade nos conteúdos de internet, inclusive na blogsfera, parei para observar a trajetória dos meus blogs. 
Hoje, percebo que voltei para as origens, que escolhi, como finalidade do meu espaço: ser um diário pessoal. Contudo, andei um bocado de tempo afastada desta intenção. Por quê? Porque me deixei influenciar pelo que via e lia em outros blogs. Me desconectei de mim e da essência do meu blog.
No entanto, acredito mesmo que essa mudança de rota fez bem. Não acredito em perdas, NUNCA. Acredito em crescimento, em evolução na caminhada. Afastar-me de quem eu sou, na escrita, me permitiu um olhar mais atento, hoje, sobre o que quero escrever. Minhas palavras, as palavras que eu escolho, bem ou mal escritas, têm que refletir quem eu sou, o meu momento, a beleza que eu vejo ou a felicidade ou a tristeza que eu vivo. Não quero inventar nada para pu…

Saudades do sabor de jambo...

A felicidade Morava tão vizinha Que, de tolo Até pensei que fosse minha.  [Chico Buarque]
Saudades do sabor de jambo da minha infância. Adorava aquela frutinha doce e oca, que brotava na árvore que tinha na casa da avó da Solange! Saudades de brincar de piquenique no quintal arborizado e florido da casa da Regiane, com as goiabas, mexericas, tomates e verduras - lembro tanto do espinafre! - que colhíamos na hora . De comer manga recém-tirada do pé. 
Saudades de brincar pelos quintais da infância, de correr de um lado para o outro, naquela imensidão de espaço que não temos hoje. Dos risos largos da menina tímida. De pular amarelinha. De me fascinar com o tamanho de um caminhão ou trator que passava na rua de paralelepípedos da minha infância.
Saudades do medo que tínhamos, eu e as crianças da rua, do Astor, o pastor alemão que morava na casa chique da rua. Ele nos amedrontava do mesmo jeito que nos fascinava. Até hoje, amo pastor alemão por causa dele, que uma vez tentou me morder na rua. 

Sou minhas escolhas e seus resultados

Hoje, (...) escolho para minha vida o caminho da evolução pessoal, tanto emocional, quanto espiritual. Escolho o êxito financeiro e profissional. Escolho o AMOR materializado e pleno em minha vida. Escolho encontrar o homem que quer caminhar comigo, buscando o autoconhecimento, o companheirismo, o sexo de (auto)descoberta.
(...) escolho a alegria e o riso. Escolho chorar de rir e escolho me emocionar com a delicadeza da vida. Escolho - de novo e sempre - o amor. Escolho o aprendizado dos momentos tristes e de dor, se eles ocorrerem. Escolho ver o copo meio cheio, buscando completá-lo.
(...) escolho me amar, antes e acima de tudo. Escolho enxergar e valorizar minhas potencialidades, aceitando e acolhendo meus defeitos. E mudando os que são passíveis de mudança.
(...) escolho honrar meu propósito de vida: mostrar ao outro que cada um é seu próprio curador. Escolho trabalhar para construir, polir e desconstruir, se preciso for, o ser humano que sou. Eu escolho a VIDA.
(...) escolho ser …

Miniconto...

Ele, aos risos: "Já sei! Me faça uma pergunta que nunca me fez!" Ela: "Tenho duas? Pode?" Ele: "Sim... manda ver!" Ela: "Você já foi amado por alguém que amou? E se a resposta for sim, como é ser amado?"
Ele emudeceu...


Jardim dos Girassóis

A vida é esta caixa de presentes, ENORME, que recebemos ao topar viver neste plano. São tantos presentes, que demoramos uma vida inteira para tirá-los da caixa e desembrulhá-los. E há todo tipo de regalos: amigos, amores, afetos, autoconhecimento, aprendizados mil...
Meus amigos sempre foram presentes preciosos, grandes canais de cura e de sacadas em minha jornada! Honro cada um deles pelo companheirismo, colo, olhar carinhoso, puxões de orelha!
No último ano, tirei da grande caixa de presentes algumas pessoas bem especiais! Fico feliz demais ao constatar que não é somente a presença física que constrói uma amizade - vide a amizade entre a Cris e eu, que apesar de termos convivido algum tempo juntas, construímos um laço de afeto forte baseado em bilhetes, cartas, e-mails, telefonemas e redes sociais!
A Sabrina Bonzi me chegou pelo Twitter e virou uma amiga querida, dessas para quem contamos tudo, pedimos colo, conselhos, luz. E ela é mesmo iluminada! 
Estou um TANTÃO feliz porque nos…

Sobre nossa eternidade

Quando compreendemos que somos seres eternos, revestidos hoje de um tecido honroso e necessário ao aprendizado, embora grosseiro à nossa verdadeira essência, cada ato torna-se mais consciente. Cada passo dado tem peso enorme no futuro da nossa existência. É necessário honrar quem somos no tempo presente, a fim de honrar nosso Self.
Eu escolho evoluir, mesmo com medo e perdendo-me em algumas ruas. Sei que este tempo representa um piscar de olhos - importante - em minha existência. Eu sempre fui, eu sempre existi. EU SOU.
"(...) Aprendemos que sempre continuaremos a viver, de uma forma ou de outra.  (...) Tudo aquilo que vive dentro de você pode lhe dar alegria ou assustá-la até o momento em que você resolva enfrentá-lo. Assim que as pessoas veem a verdade e tocam a eternidade, não há mais maneira de afastá-la de sua dignidade ou dos seus conhecimentos. (...) A abertura do universo nos coloca em contato com a criatividade em estado puro e nos permite perceber nossas aptidões e talento…

Pensando...

Uma foto me levou a revisitar emoções do passado e à citação acima da Clarice Lispector. Ainda me espanto em como encontro em seus textos uma tradução perfeita do meu jeito de amar e da intensidade da minha entrega!
Esta volta ao que já foi, me fez pensar em como eu vivo o amor: sem pensar muito, seguindo os impulsos do coração. Será que este traço meu deveria mudar ou ele é tanto minha essência, que não há o que fazer? Podemos mudar nosso sentir? Em um mundo em que entrega, amor, verdade, causam medo, seria o ideal, para (minha) sobrevivência, não? Temos medo de perder o controle, de expor nossa essência e isso tem tornado o amor algo regido por normas e convenções. Entrega e exposição não são possíveis neste jogo. Desnudar-se é pecado. Amar de forma padrão é (!) o certo...
Convenhamos que a carência universal que parece assolar o mundo pode ser uma armadilha para quem se entrega. Mas, será que não dá para ir até o outro, dar-se uma chance e descobrir se vale a pena ficar ou part…
“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”
- Fernando Pessoa

Carta para 2012

Minha Coach propôs que eu redigisse uma Carta para 2012. Achei BEM bacana a ideia!
Que tal fazer você também uma carta de intenções para este ano que está brotando?! Temos mais de 360 dias para trabalhar e realizar tudo o que quisermos! ; )
O estilo da escrita é todo seu: poesia, prosa, tópicos... vai de cada personalidade. E vale ser bem objetiva, estabelecendo metas para chegar aos objetivos.

Segue um fragmento da minha carta.
"Querido 2012,
tenho um pedido especial para você: quero ser tratada com muito AMOR. Que você me acolha, me abrace, me afague e contribua para que eu realize metas, atinja objetivos e alcance meus sonhos!
Dois mil e doze, embale meu sono e permita que eu viaje para os sonhos que aquecem meu coração. Eu prometo trabalhar arduamente, se preciso for, para torná-los reais.
Eu quero, querido ano: - um emprego que me satisfaça e que financie 'minhas viagens' neste plano; - viver o amor com um homem que me ame, me respeite e que seja um companheiro de jorn…