Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

Reticências - Parte II

... as reticências são sempre presentes, porque as palavras não exprimem tudo o que meu coração deseja dizer...

Há um "eu te amo" preso na garganta...

Há um “eu te amo” preso na garganta, pronto a ser dito por quem se habilitar a recebê-lo. No entanto, para estar habilitado há que se fazer merecedor de ouví-lo. Esse coração aqui já se machucou muito em teias de ilusões, derrapou nas curvas de amores idealizados, paixões platônicas, sentimentos unilaterais, caminhou por ruas erradas e persistiu – burramente – nos mesmos caminhos. Hoje, mais que amar, ele quer ser amado. Amor na dose certa. Infinitamente equilibrado. Porque o primeiro “eu te amo” ele dedica a si próprio... o segundo, a quem o merecer...

Apadrinhar: eu também espalho essa ideia

“[...] Ó Mestre fazei com que eu procure mais Consolar que ser consolado Compreender que ser compreendido Amar que ser amado Pois é dando que se recebe É perdoando que se é perdoado E é morrendo que se vive Para a vida eterna.” - Oração de São Francisco
A Oração de São Francisco me tocou desde a primeira vez em que a ouvi. Era capaz de me fazer chorar por encontrar minhas idéias tão bem expressadas em suas frases. Não que eu seja o desapego em pessoa ou tenha vocação para ser como Madre Teresa de Calcutá ou Irmã Dulce. Mas, sempre achei que o caminho para a cura de nossas dores é a doação, o cuidar do outro.
Também não é porque eu creia em todos os paradigmas desta oração que eu consiga segui-los ao pé da letra. Aqui e ali, eu vou me encontrando. Uma coisa para mim é certa. Sou mais completa e feliz quando estou sendo canal de cura, de amor para os outros. E como isso acontece? Como isso pode ser feito?
Essa é uma das minhas experiências: há algumas semanas, li no blog da Cris Guerra – Hoje Vou…

Divagações sobre processos evolutivos ou qualquer título que você ache mais adequado...

Nos processos de evolução que buscamos pela vida aprendemos que os acontecimentos que nos cercam refletem nossas energias, nossos atos, nossos comportamentos. Lei de causa e efeito. Quando estamos engatinhando nesses processos nos maravilhamos com essa definição, porque descobrimos que tudo depende apenas de nós, de nossas vibrações e temos pensamentos como: “Cara, vou fazer o bem e sorrir o tempo todo para só atrair coisas boas para a minha vida!”. Eureka! Descobrimos o caminho para o tão sonhado Eldorado.
Acontece que no temido dia a dia, esquecemos por completo dessa premissa. Porque se fosse tão fácil, estaríamos já em outro patamar de evolução, certo? Mas, é em nosso cotidiano que mais precisamos exercer este e outros aprendizados e aí descobrimos que nem todos estão na mesma sintonia, nem todos querem saber se você pretende evoluir ou não. Como pode ser complicado. E vemos que, muitas vezes, essa busca é solitária, pelo menos a principio, porque temos que tratar primeiro de nossa…

Pra você guardei o amor...

Nando Reis e Ana Cañas... poesia pura....
E coração pronto, em sinal verde... apenas esperando...





Pra Você Guardei o Amor - Nando Reis  "Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar
Vem esquentar
E permitir Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar Achei
Vendo em você
E explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadr…

Gratidão...

Pela vida de ontem, pela infância simples, pelas brincadeiras de criança na rua, em total liberdade e segurança, como hoje quase não há, gratidão. Pela comida no prato, simples, mas que nunca faltava, gratidão.
Pela adolescência de tantos contrastes, de tantos conflitos e tantas descobertas, gratidão. Pelas amizades que perduram até hoje e pelas feitas no caminho, anteontem, ontem e hoje pela manhã, gratidão. Pelos que estão sempre comigo, presencialmente, virtualmente e, sempre, amorosamente, gratidão.
Gratidão pela sede de saber, de conhecer, de ver mais, de ir além. Gratidão pela vontade de viver, de crescer, de evoluir. Gratidão pela falta de mesmice, pela ausência de acomodação, de senso comum. Gratidão pelos medos, pelos erros, pelos obstáculos e pela certeza de que sempre é tempo de recomeçar e fazer o novo, e fazer o certo, e errar menos e quando de novo errar, saber que algo ainda precisa ser apreendido e aprendido.
Gratidão pelas dúvidas que me norteiam, pelos credos nos quais…