Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Uma oração ♥

Uma oração! ♥


O que faço sou eu - por isso eu vim (Para Gerard Manley Hopkins)
O que faço sou eu - por isso eu vim. O que faço sou eu! Por isso eu vim ao mundo! Assim disse Gerard; Assim disse o gentil Manley Hopkins. Em sua poesia e prosa, ele viu os fatos que escolheu. Em sua genética, libertou-se então para encontrar o seu caminho Entre as impressões elétricas e espertas em seu sangue. Deus marcou você com suas impressões digitais! Ele disse. Na hora em que você nasceu, Das mãos à testa, Ele marcou você levemente com impressões digitais. As cordilheiras e os símbolos da sua alma diante dos seus olhos! Mas, nessa mesma hora, completamento nascido e berrando Chocantes pronunciamentos do nascimento de alguém, No olhar no espelho da parteira, mãe, médico, Vê-se aquela impressão digital se descolorir e sumir na carne. Então, perdida, apagada, você procura por ela durante a vida E cava fundo para encontrar ali as doces instruções Inseridas quando Deus primeiro veio e as imprimiu em ti. Vida: "Siga em fren…

Adolescer no ponto de ônibus

Meio-dia de uma sexta-feira. Tarde quente, apesar do inverno. No ponto de ônibus, nós, adultos e crianças, esperávamos o transporte que nos levaria a nossos destinos. Éramos Nós e Eles. Eles, um casal de adolescentes, de mochilas nas costas. Namorando. Sorri. Lembrei desta fase da vida em que os outros - no caso, Nós - não importam. Quando tudo o que é vital é vivermos nossos desejos e paixões como se não houvesse amanhã (clichê ♥ ). Época em que o mundo resume-se a nós - adolescentes -, nossos amigos e amores. Pais, professores e outras classes de adultos mal entram neste círculo de importância. Afinal, eles não nos entendem.
No ponto, os jovens confirmavam minhas reminiscências, sob olhares desaprovadores e outros, que nem os notavam. Eu? Permanecia sorrindo. Porque, culpa minha, nunca consegui esquecer que a adolescente que fui habita a adulta que sou. Eu já estive ali, naquele ponto de ônibus. Eu já fui a menina apaixonada, cheia de sonhos e desejos que precisavam ser realizados…

Eliane Brum ♥

Gosto um bocado!
Gosto um monte!
Gosto um tantão!
De como a Eliane Brum esculpe e transforma acontecimentos, emoções, comoções em palavras que conversam intimamente conosco.

Este texto bate um papo - BEM - íntimo comigo! E com muitas pessoas que conheço.

♥♥♥

Desconhece-te a ti mesmo! Desconhecer-se pode ser o início de uma busca estimulanteEliane Brum Uma amiga me contava na semana passada que iniciou uma nova aventura psicanalítica. Depois de anos, ela encerrou uma análise que lhe permitiu desatar muitos nós de sua vida e iniciou uma nova jornada no divã de outro psicanalista. Não foi uma troca de profissionais. Apenas o reconhecimento de que uma boa história havia se encerrado e o desejo de começar outra. O novo psicanalista perguntou a ela: “O que você espera desta análise? ”. Minha amiga respondeu: “Eu quero me desconhecer”.

Achei uma excelente resposta. Ou uma ótima pergunta sobre si mesma. Na mesma semana, conversando com outro amigo, de uma área bem diferente, ele me contava qu…

Das listas ao caos

Eu uso e abuso da opção de criar listas em algumas redes sociais - caso do  Facebook e do Twitter. Assim, em um universos de contatos e assuntos que me interessam, consigo permanecer informada sobre o que pessoas de grupos específicos têm de novidade para compartilhar. 
Das opções básicas do Face - Conhecidos, Família e Melhores Amigos - fui criando outras. Cinco, seis... muitas. Mas, cansei. Queria experimentar como alguém que não utiliza este recurso - a maioria dos usuários nem fazem ideia que ele existe - experienciam a rede social. Exclui. Não todas; as possíveis. Por padrão, três listas não podem ser excluídas, apenas arquivadas.
Por que excluir as listas? Para colocar um pouco de caos na ordem que criei. Vez ou outra, é bom desorganizar a vida, sair do caminho certinho que seguimos, para permitir que o novo aconteça; que a vida nos surpreenda. 
Eu sei. É só uma rede social. Contudo, você acredita mesmo que pode mexer no macro, assim, de cara? Eu não. A mudança começa no micro;…

Inspiração: O caminho de volta, por Téta Barbosa

Querida Téta,

o quanto a história do seu caminho ressoou aqui dentro.  mesmo sem estar chegando lá mesmo sem precisar chegar lá. ♥
Gratidão. O caminho de volta Já estou voltando. Só tenho 37 anos e já estou fazendo o caminho de volta.

Até o ano passado eu ainda estava indo. Indo morar no apartamento mais alto do prédio mais alto do bairro mais nobre. Indo comprar o carro do ano, a bolsa de marca, a roupa da moda. Claro que para isso, durante o caminho de ida, eu fazia hora extra, fazia serão, fazia dos fins de semana eternas segundas-feiras.

Até que um dia, meu filho quase chamou a babá de mãe!

Mas, com quase 40 eu estava chegando lá.

Onde mesmo?

No que ninguém conseguiu responder, eu imaginei que quando chegasse lá ia ter uma placa com a palavra FIM. Antes dela, avistei a placa de RETORNO e nela mesmo dei meia volta.

Comprei uma casa no campo (maneira chique de falar, mas ela é no meio do mato mesmo.) É longe que só a gota serena. Longe do prédio mais alto, do bairro mais chique, do carro…

Para inquietar... com amor ♥

“Por que estás tão irrequieto?”, perguntou o discípulo ao Rabino Sússia, ao vê-lo em seus momentos finais de vida.
“Tenho medo”, respondeu Sússia. “Medo de quê, rabino?”. “Medo do Tribunal Celeste”. “Tu? Um homem tão piedoso, cuja vida foi exemplar? Se tu tens medo, imagine nós, cheios de defeitos e imperfeições.” Rabino Sússia, então, diz: “Não temo ser inquerido por não ter sido como o profeta Moisés, não deixei um legado de seu porte. Eu posso me defender dizendo que eu não fui como Moisés porque eu não sou Moisés. Nem temo que me cobrem profecias como as de Maimônides, por eu não ter oferecido ao mundo a qualidade de sua obra e seu talento. Eu posso me defender dizendo que eu não fui como Maimônides porque eu não sou Maimônides. O que me apavora neste momento é que me venham indagar: ‘Sússia, por que não foste Sússia’?”

:: A alma imoral | Nilton Bonder ::

Ensolarada

Sorri, em cumplicidade, para uma menininha que, sapecamente, pulava sobre a poça de água, apesar dos protestos da avó.  Ela sorriu de volta, ‘ensolarando’ minha manhã.

E dizem que na vida não há poesia

Em um canteiro da avenida movimentada, trabalhadores aparam a grama. O cheiro de grama aparada me envolve. Tomando de assalto os meus sentidos, me transporta para lugares que não sei se conheci. Viajo.

》e dizem que na vida não há poesia.

Ermã

Há 21 anos eu chegava da escola e encontrava a casa vazia. Minha mãe não estava em casa. Havia ido parir você! ^^
E foi uma expectativa só. Seria menino ou menina? Esperávamos fechar a conta para ficar 'combinandinho': duas meninas e dois meninos! Veio você! E ficamos muito felizes!
Já de cara, vi que seu signo era leão, descobri seu ascendente e o signo no horóscopo chinês. Secretamente, eu já havia escolhido seu nome, inspirada em uma artista brilhante e forte - você deveria conhecer Camille Claudel -, para que fosse sempre fiel a suas aspirações e sonhos. E não é que deu certo?! Você é ate demais! Hihi 
E, durante anos, meio que brinquei de ser sua mãe. A ponto de até a mãe se confundir e te chamar de minha filha. Rs... 
Hoje, você chega aos 21. A menina de 16 acompanhou seu crescimento, vendo a bebê linda virar menina, mulher. Sente orgulho da sua tenacidade e firmeza diante de tudo - mas, pede que você tenha mais flexibilidade, pois a vida ensina com mais carinho aos que…

Que seja de verdade

Que toda a (nossa) vivência espiritual e terapêutica seja praticada no dia a dia, nas ruas, com os que estão ao nosso redor e com os que nos chegam. 
Que assim seja!
( Meio triste ao perceber que corremos em busca de evoluir, mas não vivemos o aprendizado na prática. )

Olhar de criança

No ônibus, uma menininha fofa pergunta à sua mãe:
_ Mamãe, cadê o Papai do Céu?
_ Ué! Tá no céu? - reepondeu a mãe
_ Não está não! Quando ele vai chegar?

》Menininha esperta. Ela - ainda - lembra que Papai do Céu não vive longe de nós. ^^