Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Vírus do bem...

Tenho um casal de amigos que está “grávido”. Como gostam de registrar os momentos especiais, tiram muitas fotos. Eu adoro, pois mesmo distante, posso acompanhar a gravidez – fruto de um amor tão bonito. Observando umas fotos recentes, não pude deixar de me emocionar com as imagens que via... elas falavam alto. Transmitiam amor, cumplicidade, afeto. Eu não pude guardar dentro de mim minhas emoções e compartilhei uma daquelas fotos, expressando o quão eles são especiais. E o fato de ter externado o que eu sentia me levou a pensar o quanto nós guardamos as emoções só para nós. E cá estou eu para falar disso.
Sábado, compartilhando um momento de reflexão com uma turma especial, eu já pensava nisso. Conseguimos, facilmente, jogar aos quatro ventos nossas insatisfações, nossas mágoas, o cotidiano que nos irrita, a raiva, a intolerância. Mas, temos grande dificuldade em expressar amor, carinho, afeto. Não nos damos conta de que, espalhando sentimentos, emoções grandiosas, nos tornamos grandi…

Princeseando no A Mais Perfeita Desordem

Outro dia, fui ali, princesear no blog do amigo Maurício Macri. Para quem não viu, segue o link do blog e um trecho do meu post...
QUARTA-FEIRA, 25 DE AGOSTO DE 2010Encontros Mágicos Queria falar um pouco sobre inadequação. Sobre a minha recente sensação de inadequação a quase tudo que me cerca. Mas, receosa de que tudo pareça um lamento sem fim, pensei em falar sobre algo interessante e bonito. 

Feliz dia dos pais

Se eu gosto de assistir aos telejornais, é por causa dele...
Se eu torço para o Bayer de Munick, para o Kashima Antlers, para o Atalanta a culpa é dele... não pelas escolhas dos times - ele, Palmeiras, eu São Paulo, mas por me fazer amar futebol.
Se eu vi o Senna nascer e morrer na F1, se sei quem é Niki Lauda, Jack Stweart, Alain Proust e se o apelido do meu irmão era Keke Rosenberg quando pequeno e eu achava o máximo, é por causa dele.
Eu o esperava chegar em casa para assistir aos jornais, eu via todos os campeonatos de futebol com ele, eu ficava acordada de madrugada para ver as corridas de Fórmula 1 que aconteciam as duas, três da manhã, eu gostava de passear de mãos dadas com ele na rua... 
A vida e suas teias intricadas me afastaram do meu herói - ou talvez tenha sido eu mesma quem me afastei. Mas, não fosse por ele, eu não estaria aqui, não respiraria, não andaria, não exerceria esse hobby que tanto prazer me dá - escrever.
Sei dizer o quanto amo meus amigos... não sei dizer isso a…

Ella

Sempre defendo que devemos ouvir a voz do coração. Mas - como para tudo há um mas - quando nosso coração nos quer submeter a situações que podem nos ferir, nos rebaixar, o que podemos fazer? Eu costumo pedir um sinal, algo que aconteça ou apareça involuntariamente e que me faça SENTIR qual caminho a seguir. Porque às vezes estamos jugando, pré-jugando, achando que nosso coração está querendo nos "meter em uma roubada". Ou não. E, aí, a confusão se faz.

Hoje, eu vivi esse momento de confusão, sem saber que caminho seguir: coração podendo me prejudicar, razão querendo ser correta. Pedi auxílio a minha intuição, pedi um sinal. E saí para a vida, pois tinha coisas a fazer. Fiquei presa em um daqueles congestionamentos de São Paulo. Cabeça e coração, corpo em conflito. Me atrasei - confesso que uso o pronome antes do verbo com remorso, mas para um texto baseado na oralidade, soa melhor - para o curso de espanhol. Ao chegar lá, meus colegas faziam uma atividade com a letra desta mú…

Tempo para evoluir...

Quando iniciamos - conscientemente - nosso processo de evolução, cremos que a vida se transformará em um tempo que é logo ali, dobrando a esquina. Mais lições a aprender: o tempo é muito mais do que o sabemos, muito mais complexo que o que dimensionamos; o tempo para a evolução é particular e tem uma forma que é só sua; e, talvez o principal, a evolução acontece cotidianamente, com tropeços, com dores, com reflexões, com tristezas. A alegria existe, a consciência do crescimento também, mas não é por isso que a caminhada é fácil.

Saudades do silêncio...

Sinto falta de uma solidão sozinha, de uma solidão que provoque reflexão... de uma solidão em silêncio. O silêncio - não o meu, mas ao meu redor - há muito não me visita. Queria ouvir o silêncio...