Pular para o conteúdo principal

Para coisas simples como a fome e a sede...

Em tempos de "guerra urbana" é bom ver - e fazer - ações que mudam o nosso futuro e o futuro do nosso país. Meu coração sente-se aquecido por saber que faço a diferença na vida de uma criança e de sua família. Abaixo, segue um pequeno relato de como apadrinhar uma criança muda a vida de uma comunidade:

Para entender como funciona a atuação do Fundo Cristão em algumas cidades do Vale do Jequitinhonha, é mais fácil tentar compreender o que cada programa significa para uma pessoa beneficiada por ele.


Aqui, duas Marias e duas histórias nos ajudam a conhecer os programas “Água para a vida” e “Geração de Trabalho e Renda”. Estes programas acontecem em parceria com organizações parceiras, que promovem cursos e palestras para atender e capacitar jovens, famílias e comunidades sobre a importância da saúde da população.

Dona Maria Alves Ferreira teve a ajuda deste programa, que mostrou a ela oportunidades de cultivo para o próprio sustento. Há quatro anos ela cuida da horta comunitária de Várzea Grande, na cidade de Medina.

Ao entrar no terreno da horta, você já sente o cheirinho do coentro. E encontra Dona Maria todo santo dia, regando a sua parte. Ela conta que, depois que começou a plantar, a alimentação da família mudou muito. Hoje tem em casa muitas verduras e legumes que não tinha antes e garante a alimentação das cinco pessoas que moram com ela. E ainda doa a outras famílias que precisam, além de vender um pouco da produção também. Dona Maria divide a horta com mais 14 famílias, cada uma com seu pedacinho de terra. O mais bonito é que as famílias fazem um trabalho colaborativo e solidário: um vizinho ajuda a cuidar do que é do outro.

A horta domiciliar funciona de um jeito diferente: cada família recebe kits de sementes e assim pode plantar e colher quiabo, couve, alface, pimenta, jiló, espinafre, berinjela, beterraba, cebolinha, coentro e outros. Produtos que complementam a alimentação de muitas crianças e famílias do local.

Dona Mariazinha, que mora na comunidade do Tombo, cultiva as sementes que recebeu há dois anos, em sua casa, com ajuda das filhas. A casa dela tem um pocinho de água no quintal que, no tempo da seca, como agora, está bem vazio. Os educadores sociais orientam Dona Maria sobre como ter acesso à água, mesmo nesses períodos.

Estes são apenas dois dos muitos projetos que o Fundo Cristão para Crianças ajuda a viabilizar em Medina. Projetos que solucionam problemas difíceis até de imaginar, como a fome e a sede. E assim mudam a vida das crianças e suas famílias, dando a elas uma perspectiva diferente de futuro.




Fotos: Élcio Paraíso
Participe da nossa rede de blogs e ajude a espalhar a ideia do apadrinhamento . Escreva para espalheessaideia@fundocristao.org.br e receba o selo da campanha e os posts que faremos simultaneamente. Siga o @fundocristao no twitter, retwitte este post, fale sobre o apadrinhamento com seus amigos. E para apadrinhar, acesse aqui.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…