Pular para o conteúdo principal

Tempo...

Como o tempo passa! O que era ontem, mês passado, ano passado de repente se materializa em nossa frente na forma de pessoas amadurecidas, crianças que são quase adultos, bebês que já vão à escola.

O tempo corre rápido. Amadurecemos. Nosso corpo se transforma. Curioso é que nossa mente não envelhece. Agrega as experiências. Não se transforma numa velha ranzinza, resmungando ou reclamando da vida.

É preciso sabedoria para amadurecer em vez de envelhecer. Para saber entender que as atitudes devem ser outras, não porque não se adéquam a idade e sim porque devem ser baseadas nas experiências adquiridas. Exigir um comportamento mais “adequado” a essa ou aquela idade, devido às convenções, também é sinal de imaturidade.

Para mim, o tempo é um aliado. Transformou a menina insegura em mulher segura. Segura. Quando ouvi da boca de uma quase desconhecida – obrigada por isso! – que essa era uma característica que eu transmitia, me surpreendi. Foi como se enxergar de verdade pela primeira vez. E aos 32 anos.

Tenho sim meus momentos de extrema insegurança. Contudo, é muito diferente. Esses momentos não me prendem mais dentro de minha zona de conforto. Não fazem com que a menina que eu fui se esgueire e queira se esconder.

Crescemos a todo o momento, todos os dias. Nosso corpo morre e mesmo assim não crescemos o suficiente. Essa certeza de que sempre estaremos em constante aprendizado é que deixa a vida saborosa, instigante... interessante.


“... Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...
O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...
E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...
Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...”


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…