Viajar só

Viajar sozinha é consequência do amor por mar e natureza. Quando não se tem companhia e opta-se por não viajar, resta viver em esfera platônica. Não posso. Meu amor pede presença e troca. Carinhos com o mar, permanente estado de afeto com o sol, olhar deslumbrado por cada árvore, folha e flor que cruzam minha vista.

Viajar sozinha não é solidão. É comunhão. Com a natureza. Com os desconhecidos que encontro e que passam a fazer parte da minha viagem pessoal. Comigo. 

Viajar, ainda que sozinha, é minha declaração de amor. Pela natureza. Por mim.





.:. Fotos: Gleide Morais | Praia do Lázaro e Praia Domingas Dias, Ubatuba/SP
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meu aprendimento

Para Bertoli...