Pular para o conteúdo principal

Minha vida é uma porção poesia por conta de você

Poeta
Poetinha vagabundo
Quem dera todo mundo
Fosse assim feito você
Que a vida não gosta de esperar
A vida é pra valer
A vida é pra levar
Vinicius, velho, saravá
{ Chico Buarque | Toquinho }

Quando eu, pirralha, gostei de poesia, eu gostei primeiro de você - e de Cecilia e Drummond, seus companheiros em minhas buscas poéticas.

Exercício de amor, para quem, quase criança, não sonhava com amor foi conhecer o Soneto de Fidelidade. Exercício de estudante c.d.f. foi decorá-lo! Mais tarde, em arroubos de adolescente, jurei recitá-lo ao amor da minha vida.

Contraditoriamente, mais velha é que fui conhecer o Pato, a Corujinha e os outros bichos da Arca de Noé. Faz parte da minha coleção de cds infantis de moça adulta. A moça também quis ouvir, de algum moço apaixonado, Minha Namorada. ♥

Vinicius e Gilda Matoso (foto DAQUI )
Ah! Mas, a gente se distanciou, Vinicius? E eu nem sei como ou por qual motivo! Talvez sejam estes caminhos da vida, que nos afastam mesmos daqueles que amamos, quando cada um já cumpriu seu papel na vida do outro.

Mas, hoje, venho aqui, acompanhada do Pato, do Samba da Benção, do Soneto de Felicidade, do Soneto da Separação - este eu num quis recitar para nenhum amor, mas recitei, mentalmente tantas vezes! - e de outras obras suas que me marcaram agradecer por você ter apresentado a poesia para a menininha que fui e sou.

P.S. teu site novo está lindo! Foi te ouvindo e ouvindo seus camaradas de caminhada que escrevi essas minhas 'memórias vinicianas'. ♥

Gratidão, Poetinha! 
Minha vida é uma porção poesia por conta de você.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella