Amor & Sal, by Marini Lopes


Vale muito uma visita ao blog da Marini Lopes: Brincando de Pensar

Amor & Sal



Ao se pensar em como se deve amar, logo sugiro a você que pense no sal.
Acredito que AMAR seja como degustá-lo.
Não se consegue comer um quilo de sal no mesmo dia.
Para muitas pessoas, uma pitada já é o suficiente.
Se posto demais na refeição, ela se torna ingerível.
Mesmo sabendo a medida, algumas vezes haverá o erro.
Há aqueles que gostam mais do que o de costume, e normalmente não se contentam com o que é colocado. Sempre querem mais.
Outros se contentam com o que lhes é oferecido. Assim, aprendem a apreciar outras medidas.
Quem não está acostumado com o seu sabor, pode demorar um pouco para apreciá-lo.
Algumas pessoas podem até passar mal na ausência dele e não conseguem substituí-lo por outro tempero.
Já outras, vivem bem sem. Apreciam outros temperos ao invés de consumí-lo sempre.
Assim como o SAL, o amor é um gosto e uma medida individual.
Cada um sabe a quantia que gosta, até provar outras medidas para ter certeza.
Ao experimentá-lo numa medida diferente da de costume, pode ser que se sinta dependente dele ou nunca mais queira apreciá-lo novamente.
Talvez, seja esse um dos segredos do amor.
Ter a consciência de que seu excesso pode fazer mal.
Olhar sempre o seu pote, para não deixa-lo esvaziar caso você o use sempre.
Saber o que fazer na ausência dele.
Buscar se satisfazer, de acordo com o seu gosto.
Ao amar, lembre-se:
Com o tempo, aprendemos a medida certa!
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meu aprendimento

Para Bertoli...