Pular para o conteúdo principal

Sem mandamentos...

Ontem, fui dormir embalada pela música de Oswaldo Montenegro. Música é presença constante em minha vida. Para relaxar, dançar, cantar no chuveiro, meditar - embora ainda ache melhor a meditação silenciosa -, viajar, celebrar... Ontem, eu ouvi o Oswaldo para descansar esse corpinho que tem trabalhado muito nessas últimas semanas... rs... O espírito está bem descansado e renovado; a música ontem serviu para elevá-lo. =)

 Já vi alguns bons shows, mas o do Oswaldo - creio que já disse isso um milhão de vezes - me fez rir e chorar numa mesma noite. Foi o show mais emocionante que já assisti. E quem diz isso é uma fã de carteirinha de Marisa Monte, que já assistiu a quase todos os seus shows. Mas, nem Marisa, que amo, me causou tanto encantamento. A lembrança mais linda que trago do show do Menestrel Oswaldo é de Madalena Sales, sua grande companheira artística - andando pelas escadarias do auditório do Memorial da América Latina, em meio ao público, tocando e nos enfeitiçando com sua flauta.

Segundo Oswaldo Montenegro, essa é a música mais feliz que ele já compôs. E é com essa vibração - de ALEGRIA, PAZ, AMOR - que levarei 2011! E vibro para que todos possam encontrar dentro de si as sementinhas de felicidade, que se encontram escondidinhas dentro de cada um. Cabe a nós querer encontrá-las...

Um FELIZ – bem grandão, do fundo do coração, vibrante mesmo – 2011!!! =)


Sem Mandamentos – Oswaldo Montenegro

Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
De rostos serenos, de palavras soltas
Eu quero a rua toda parecendo louca
Com gente gritando e se abraçando ao sol
Hoje eu quero ver a bola da criança livre
Quero ver os sonhos todos nas janelas
Quero ver vocês andando por aí
Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
Eu até desculpo o que você falou
Eu quero ver meu coração no seu sorriso
E no olho da tarde a primeira luz
Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
Eu quero um carnaval no engarrafamento
E que dez mil estrelas vão riscando o céu
Buscando a sua casa no amanhecer
Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
Rasgar a noite escura como um lampião
Eu vou fazer seresta na sua calçada
Eu vou fazer misérias no seu coração
Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
Pra escrever a música sem pretensão
Eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
E que triunfe a força da imaginação
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…