Tamu aí prá conhecê...


Eu sempre digo que sou privilegiada, porque fui capaz de criar não uma, mas, algumas amizades verdadeiras. Tenho mais de um ombro amigo com o qual dividir minhas alegrias e minhas tristezas. A Cris, não precisa mais de apresentação. Está sempre aqui, invadindo meu blog e eu o dela. É nela que encontro aporte para esse meu sonho de escrever. E é a que mais compartilha desse prazer comigo.

Todas as minhas amigas são especiais. Tanto pelo jeito de cada uma, tanto pelo simbolismo de nossos vínculos.

Uma delas passou a fazer parte de minha vida há dois anos. Lembro até hoje do primeiro dia de aula, quando nossa professora de Espanhol pediu para nos dividirmos em duplas, para fazermos um exercício. Eu, que nunca estudei uma palavra do idioma de “nuestros hermanos”, me reuni a ela, que estudava espanhol. Desde então, estamos juntas.

A Mi é como uma amiga de infância. Parece que nos conhecemos há muito tempo. Ela conhece o melhor e o pior de mim. Rimos e choramos muitas vezes juntas. É uma menina muito madura, essa minha querida amiga – isso, só ela entende! [risos]

A Michelly é autêntica, engraçada – dessas de nos fazer rir de tanto chorar! – estourada, companheira, barraqueira e muito inteligente. Tem uma curiosidade nata que falta a muitos jovens hoje em dia. É questionadora. E contestadora. Dá “pitchi” como ninguém. Os professores o sabem bem [risos]! Quando está a fim de briga, sai de baixo! E de perto! Eu fujo! Amigas têm que saber quando é hora de sair de cena! E ela sabe o mesmo de mim. Dos meus altos e baixos. De quando pode falar e de quando é melhor apenas ouvir.

A Marisa Monte, em Infinito Particular, canta “em alguns instantes sou pequenina e também gigante”. Uso muito essa citação para falar de mim, porém ela se adéqua perfeitamente a Mi. Já a vi crescer tanto nesses dois anos. Ela é assim, um ser humano gigante, capaz de atitudes de uma grandiosidade impar. E já a vi em momentos de “pequenez”, em que tudo o que eu queria era pegá-la no colo e protegê-la do que a magoava. Nem sempre pude fazer isso. Estar por perto quando necessário. Contudo, sei que ela sabe. E que faria o mesmo por mim, se estivesse ao seu alcance.

Explicar nossa amizade?! Empatia pura. Mais que isso, impossível. Bertoli é alguém que entrou de mansinho em minha vida, conquistou minha amizade e minha confiança e de quem espero ser parceira para sempre – em nossas loucuras, nossas criancices e nossos sonhos.


Eu? Só posso agradecer por todos os momentos que vivemos juntas. Por cada um deles, bons ou maus – duvido que algum seja verdadeiramente mau – porque em todos eu aprendi muito com ela.

Ah! O título?! Coisas de Michelly... [risos]...




1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meu aprendimento

Para Bertoli...