Pular para o conteúdo principal

Sobre mim...


Para Cris: “afe! eu não me reconheço mesmo em capricórnio!!! rs...
eu sou sonhadora demais, como minha lua em câncer...
e impulsiva demais, como meu ascendente em sagitário...
quem eu sou?!?! rs....”

Para Mi:
“Reli meu e-mail agora... quem eu estou querendo enganar?!?!?!?! Já estou apaixonada!!!”

Esses são dois fragmentos de e-mail’s que troquei hoje com a Cris e a Mi. Eles traduzem muito minha personalidade.

Sou de capricórnio, o signo “pé no chão”. Aonde? Quando? Quem? Eu?!?!?!?! Decididamente, devem estar falando de outra pessoa!!!

Trechos de uma combinação entre signos – sim, aqueles bobinhos que todas as mulheres gostam e que combinam nosso signo com o do cara que queremos conquistar! – que a Cris me enviou:

“O jeito sério e conservador de Capricórnio pode se chocar (...) enquanto que Capricórnio gosta de guardar para si os seus sentimentos(...)”

Sou tantas Gleides, tantas mulheres encontram-se dentro de mim, mas ainda não fui apresentada à Gleide conservadora e tão pouco à que guarda para si seus sentimentos.

Como eu escrevi acima, sou passional demais. Apaixono-me fácil. Me dôo (de doar; o Aurélio disse que é assim que se conjuga) muito! Sou sonhadora e impulsiva ao quadrado! Muito mais simples para mim é dizer que gosto de uma pessoa do que fazer joguinhos. Tenho medo da rejeição, porém tenho muito mais medo de ficar na expectativa durante muito tempo, idealizando como seria um relacionamento com tal pessoa.

Não caibo dentro mim de vez em quando. É sério. Não estou com isso querendo dizer que sou grandiosa – se alguém quiser dizer eu não me importo! – e sim que alguns sentimentos tomam conta de mim de tal forma que acho que vou explodir, como diz a música da Ana Carolina:


“... É como uma represa pronta pra jorrar
Querendo iluminar
A estrada, a casa, o quarto onde você está
Não dá pra ocultar
Algo preso quer sair do meu olhar
Atravessar montanhas e te alcançar
Tocar o seu olhar
Te fazer me enxergar e se enxergar em mim...”


Sou assim! Quando não cabe mais aqui dentro, tenho que colocar para fora de alguma forma. Hoje, só posso extravasar dessa forma que conheço. Escrevendo. Por enquanto...


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…