Pular para o conteúdo principal

Sobre Freud, Jung e o meu futuro...

(Garimpo Rock Bar - Embú das Artes)

A Psicologia entrou em minha vida numa tarde de domingo, em 2008, na mesa de um restaurante, em Embu das Artes.

Veio pelas bocas da Eli, em um questionamento, mais ou menos assim: “Nossa! Você sabe tanta coisa da área! Por que não faz Psicologia?”

Na verdade, nos bate papos por e-mail com minha amiga Priscila, a psicologia já existia em minha vida, nesse lance dela falar que era bom conversar com alguém que tinha o ponto de vista dela – de Psicóloga.

Há quantos anos a Psicologia me ronda, sem eu me dar conta, na mania que tenho de analisar as pessoas, de procurar os motivos na entrelinhas que expliquem esse ou aquele comportamento de alguém?

Por que nunca enxerguei a Psicologia paquerava, nas milhares de vezes que fui procurada para aconselhar (quem sou eu?!). Como nunca notei que minha habilidade para ouvir, sem interromper, seria um traço meu que sinalizava para essa profissão?

Não vou nem citar livros, autores, teóricos que sempre me fascinaram.

Já quis ser tanta coisa, contudo nunca pensei em ser psicóloga. Hoje penso. E quero seguir esse caminho. E sei que nasci para isso (entre tantas outras coisas que sei que nasci para ser!).

Hoje, estudo Letras. Amo! Não me arrependo de ter seguido esse caminho. Mesmo que não venha exercer a profissão, o que acho difícil, porque fui mordida por umas daqueles bichinhos que vê o quanto é mágico e importante transmitir conhecimento para outra pessoa. E o quanto isso é gratificante. Depois, conhecimento nunca é demais e é um bem que ninguém pode me tirar.

Quero ajudar o ser humano a crescer de outra forma também. Através do conhecimento de si mesmo, de suas fraquezas e do conhecimento de suas qualidades. O poder de saber o que carregamos em nosso intimo é impar!

Após o Leader Training – experiência que todos deveriam ter o privilégio de vivenciar – essa vontade só se acentuou. O LT foi uma sessão de terapia intensiva que mudou tanto minha vida em pouco mais de quatro meses!!! E que continua fazendo modificações até hoje!!! E foi pura psicologia aplicada intensamente.

Falava hoje com novos amigos – como é bom sempre ter novas pessoas interessantes para conhecer – sobre gratificação na profissão. Hoje, sei que mais que um bom salário e estabilidade, quero ter paixão pelo que farei para o resto da vida.

Finalmente cheguei a resposta sobre um questionamento que me fiz, devido a uma conversa com a Pri. Hoje sei qual é de verdade meu projeto de vida. Já sei o que quero ser quando crescer!!!





(Embú das Artes)

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…