Pular para o conteúdo principal

Um brinde à leveza na vida...

“...reflita como a maioria das pessoas ao seu redor não tem consciência da força dos pensamentos e das palavras.
Acredito que o mundo externo é só um reflexo do seu mundo interno. Ou seja, o que mandamos para ele, ele nos devolve. Como um bumerangue que atiramos e ele volta à nossa mão.
Palavras rudes... Pensamentos negativos e medíocres... Julgamentos... Mentiras... Roubos... Insultos... Egoísmo... Magoar pessoas com palavras ou atitudes...
O mundo é feito de causa e efeito, assim, TUDO que emitimos retornará e seremos obrigados a assumir as conseqüências de nossas ações positivas ou negativas.”


Palavras do Tadashi. Que vieram bem a calhar com um compromisso que assumi comigo ontem. TPM, estresses, problemas pessoais... ninguém tem culpa dos meus dramas e problemas! As pessoas não são obrigadas a aturar meu mau-humor, meus momentos de tristeza, minhas frustrações. Não tenho direito de descarregar em ninguém o que me pesa ou o que me sufoca. Por isso, o compromisso: de não descontar em ninguém emoções negativas e de tentar trazer para mim emoções e energias positivas, mesmo quando tudo peça o contrário.

Quer saber?! Acho que está dando certo. O dia foi bacana, nem tudo fluiu, mas foi bacana. O melhor de tudo? Me senti leve, leve, leve...

O esforço para que continue assim é todo meu. O mérito pelo resultado positivo também. E as conseqüências? São para todos.

Beijos!!! :D


2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…