Pular para o conteúdo principal

Uma música...

“Have I found you?
Flightless bird, jealous, weeping
Or lost you?
American mouth
Big bill looming”


Curioso como algumas músicas são capazes de mexer com nossas emoções. Essa música tem esse poder. Antes mesmo de eu saber o que ela dizia. Mesmo sabendo o que ela diz. E não vendo relação com minha vida na letra dela.

A voz do cantor, a forma como ele pronuncia cada palavra, a melodia... tudo nessa música conversa com minha alma. E fala muito.

Conta sobre histórias vividas e perdidas. Sobre perdas e ganhos. Sobretudo, fala sobre uma espera difícil de aguentar. Da mesma forma como o terceiro e o quarto livro fizeram. Em algum momento, em algum trecho, alguma palavra ou situação daquela história desencadeou um processo curioso dentro de mim. Sendo clichê: uma avalanche de emoções me dominou desde então.

Não sou capaz ainda de dimensionar em palavras o que acontece dentro de mim. Sei que é uma revolução. Estou em espera. Analisando. Observando. Tentando entender. Assimilando.


“I was a quick wet boy
Diving too deep for coins”


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella

Para Bertoli...

“A maior distância que eu já percorri foi entre minha cabeça e meu coração.”
- Tadashi Kadomoto


Lembro que eu queria surtar. De verdade. Queria surtar para que me internassem e me deixassem em paz. Para que não me cobrassem nada, para que não me pedissem nada, para que não falassem comigo. Queria adoecer meu corpo e tentei de várias formas conseguir isso. Só para ficar em paz.

Queria paz. Algo tão caro, tão importante, tão simples, tão perto e tão distante.

Recordo o dia em que encontrei a paz. Eu ria. Chorava e ria. Nascia leve e feliz. O sofrimento? A dor? Tudo havia ficado para trás. Eu era apenas aquela sensação de amor – por mim mesma, a quem nunca havia amado.

Agora, eu já podia abraçar o mundo! Podia concretizar meus sonhos. Podia amar a mim e não só os outros. Sabia e sentia o significado das coisas. Podia seguir meu caminho e viver a minha vida.

O encontro com o AMOR INCONDICIONAL... Foi marcante. De repente eu era a forma de amor que aquele ser humano tanto quis e nunca encontrou.…