Pular para o conteúdo principal

Mais de mim...




Gosto de escrever desde sempre. Pelo menos, é o que eu acho! Brincava de ser escritora quando era bem pequena. Assim que pude - ou melhor, que soube como - comecei a escrever meu primeiro diário. Diário esse que queimei num ataque ‘pré-aborrescente’, quando soube que era espionada por minha mãe e minha irmã. Se fosse hoje, ele jamais seria queimado. Quis me vingar e quem perdeu fui eu.

Perdi porque não há viagem melhor do que mergulhar nas páginas de um diário e revisitar nosso passado. Sem saudosismos. Apenas curtindo o que vivemos – de bom e de ruim. E vemos o quanto mudamos, evoluímos. E o quanto isso é bom!!!


Sou, como diz uma música, uma mulher de fases. Ora escrevo muito, ora a míngua, ora nada. Tenho três diários... puro exagero, porque acabo usando um só. E como uma boa capricorniana, a escolha do que uso mais se dá por sua praticidade: é o menor, aquele que posso carregar na minha bolsa, que acredite, carrega o mundo!!!

O que eu gosto, além de escrever? Bom, segue uma pequena lista (bem resumida), porque eu basicamente gosto de muitas coisas:
  • Gosto de dançar. Muito! Mas, sou preguiçosa e ando avessa a balada.
  • Se gosto de dançar, subentende-se que gosto de música!
  • E se gosto de escrever, é porque gosto de ler!
  • Amo estar com meus amigos!!! 
  • ADORO praia!!! 
  • Sou viciada em amores platônicos. Verdade! Cheguei a conclusão que não existem amores possíveis para mim! Só me interesso por homens que já tem o coração preenchido, que não querem preenchê-lo de jeito nenhum e pelos que me acham a irmãzinha caçula!!! Rs...
  • Sou compulsiva. Desconto toda minha carência na doceria ou no shopping... Posso pesar 60kg ou 70kg. Bom, nesse instante, estou mais perto dos setenta que dos sessenta... :S
Nem sempre sou engraçadinha assim. Às vezes sou profunda, prática, sincera, cruel. Mais alegre que triste. Mais compreensiva que intolerante. Mais humanizada do que ‘gente que vira pedra’ nessa selva em que vivemos. Vejo uma flor no meio do asfalto. Acredito na mudança para melhor. Não acho que estamos piorando. Acho que hoje temos mídia e liberdade de expressão, algo que não existia na Idade Média.

Me sinto responsável pelo mundo, pela direção que as coisas tomaram, pelo menino que cheira cola na rua, pelo efeito estufa. Tento fazer a minha parte para as coisas melhorarem. Incentivo que os outros façam o mesmo, mas não espere me ver discursando sobre as idéias em que acredito ou apregoando meus ideais para os outros. Que sigam meu exemplo, que eu detesto charlatanismo...

É... deu para ver que sou tagarela...

Sou estudante de Letras e tenho medo de que julguem o que e como eu escrevo por conta disso. Porém, nada posso fazer. Análise sintática ainda é um pesadelo na minha vida. Literatura é muito mais tranqüilo. Se me julgarem, paciência. Sou o que sou. E isso me basta.

Prazer, eu sou a Gleide.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memórias natalinas

A Jornada de Renata Quintela ♥

Levando para a semana que começa a energia inspiradora da descoberta rica e preciosa da semana que acabou. ♥
A Jornada de Renata Quintella